Espiritualidade

Espiritualidade Marianista

Os Marianistas e o jeito mariano de Igreja


Compartilhamos um artigo do Centro de Formação Marianista para a América Latina. Uma reflexão do papel de Maria na espiritualidade marianista e na Igreja.

     A riqueza mariológica não nos deixa de surpreender sendo sempre novidade para cada nova geração. Para os marianistas esta novidade é orgulho de filhos e nossa identidade; além disso o desenvolvimento das Ciências Humanas nos permitiu localizar melhor lugar na mulher imanente, na filha de Nazaré.

     O Concílio Ecumênico Vaticano II no capítulo VII da Constituição dogmática “Lumen Gentium” intitulado “Sobre a Virgem Maria”: “colocou em evidência que a Mãe do Senhor não é uma figura marginal no conjunto da fé e no panorama da teologia, já que Ela, pela sua íntima participação na história da salvação ‘reúne em si e reflete de certo modo as supremas verdades da fé. ’” (João Paulo II. Redemptoris Mater, 1987, p.6).

     As conferências episcopais latino-americanas não deixam de exaltar o papel de Maria em nosso continente como modelo da dignidade da Mulher, modelo de virtudes, protótipo da Igreja como primeira evangelizada (Lc 1, 26-38) e primeira evangelizadora (Lc 1, 39-45). “Imagem esplêndida de configuração ao projeto trinitário, que se cumpre em Cristo, é a Virgem Maria, desde sua Imaculada Concepção até sua Assunção, nos recorda que a toda a beleza do ser humano está no vínculo de amor com a Trindade, e que a plenitude de nossa liberdade está na resposta positiva que damos a este mistério. ” (Aparecida, 2007, n. 141)

     Encontramos também fortes intuições carismáticas nos documentos capitulares marianistas, sobretudo no XXXIII Capítulo Geral, “Em missão com Maria”, onde se declara: “Para um jeito mariano de Igreja que apresenta os desafios missionários mais importantes para a Companhia de Maria hora, desde a perspectiva mariana de nosso carisma. (Pe. Manuel Cortés. Carta de Apresentação ao Documento Capitular, 2006). A impulso atual é nos aproximar desde a perspectiva “discípula e missionária” já que contém melhor os elementos próprios formativos: educar, ensinar, transmitir, criar, fecundidade, solidariedade.

 

O ROSTO MARIANO DA IGREJA

     O mundo muda e a Igreja deve modificar-se para ser entendida e poder tornar-se sinal profético e de esperança em um mundo indiferente à região. A Igreja está no mundo, mas não é do mundo.

     Como Marianistas, desde nosso carisma, encontramos nossa inspiração nesse estilo de vida mariano: convidamos a outros a participar de nossa vocação que “está especialmente dedica a Maria. ” (RVSM, 1); “nosso fim é a conformidade com Jesus Cristo, Filho de Deus feito Filho de Maria. ” (RVFMI, 2); “Maria nos ensina o caminho da autêntica vida cristã... esperamos refletir ao nosso redor a cordialidade com que Maria acolheu a Deus e aos Homens. ” (RVSM, 8).

     A Igreja nos pede para viver em um jeito mariano de Igreja: o mundo atual necessita este estilo de ser Igreja: aberta, dialogante, solidária. Sejamos sacramento do mundo.

     Os marianistas na América Latina expressam seu estilo mariano: Os marianistas como Família, desde o carisma, como discípulos e missionários, fazem presente no mundo a dimensão Mariana da Igreja em Aliança com Maria (esta dimensão mariana se caracteriza pelas atitudes de abertura, igualdade, participação, diálogo, solidariedade, proximidade, paciência, compaixão e valentia).

 

O ESPÍRITO DE MARIA

     O espírito dos marianistas é um espírito interior e este espírito interior é o espírito de Maria. "O espírito do Instituto é o espírito de Maria." (Retiros 1819, EF II, n.595; Retiros 1821, Escritos Marianos II, n. 765; Carta 16/06/1840 a M. Enderlin - Cartas V, n.1208).

     “Nosso carisma cuja fonte é o espírito de Maria, é um Dom de Deus ao seu povo” (RVSM, 54). “O meio preferido para difundir nosso carisma é estabelecer e desenvolver comunidades leigas da Família Marianista. Colaboramos para que se formem em nossa espiritualidade e em nosso método apostólico e trabalhamos com eles para criar uma rede de comunidades de fé. ” (RSVM, 5.6).

     “Nosso principal objetivo é a formação na fé. Em particular, tratamos de motivar e preparar apóstolos e fazer surgir comunidades de leigos comprometidos. ” (RVSM, 71).

     Tudo com a finalidade de ser outros Cristo = conformidade com Jesus Cristo e trabalhar pelo Reino de Deus (RVM n° 2).

 

O ESSENCIAL

     “O espírito do Instituto Companhia de Maria – MARIANISTAS é um espírito interior, o qual consiste na vivência de cada um de seus membros a perfeita e constante união com Deus. ” (Notas de retiro, 1821). “O espírito dos filhos de Maria consiste em fazer viver cada um de seus membros em uma perfeita e constante união com Deus. ” (Meditação 18, Bidon).

     Toda a Família Marianista participa deste espírito interior: religiosos, religiosas e leigos que se formam de maneira organizada na espiritualidade marianista: “A vida espiritual não é outra coisa que a vida de Jesus Cristo, a vida levada segundo o espírito de Jesus Cristo." (EF, n. 445). São Paulo diria: “Não vivo já mina própria vida, não sou eu que vivo; é Cristo que vive em mim. ” (Gl 2, 20).

    Como consequência: “O coração do marianista e também de todo cristão deve ser uma espécie de oratório, um lugar de retiro, uma casa de oração, em uma palavra, um templo” (P. Chaminade, retiro, 1821).