Quem Somos

Nossa História

                O Beato Guilherme José Chaminade (1761 – 1850), sacerdote da diocese de Bordeaux (França), exerceu o ministério sacerdotal com fidelidade e entre muitos perigos durante os anos difíceis da Revolução Francesa. Como consequência, enfrentou novo desafio apostólico: desconhecimento da fé, indiferença da fé, indiferença religiosa, abandono da vida cristã e a ruína das estruturas da Igreja. Compreendeu, sob o influxo do Espírito Santo, que para seu tempo eram necessários novos meios, instituições novas, métodos novos e até um novo tipo de missionários.
                Viver em comunidade no espírito do Evangelho sempre tem sido um meio eficaz de implantar a fé pessoal e um ambiente propício para cumprir suas exigências. Foi esta a experiência da Igreja primitiva, unidade com Maria em oração e na espera do Espírito Santo. Foi esta experiência da primeira comunidade de Jerusalém, que tinha tudo em comum e era um só coração e uma só alma.
                O pe. Chaminade, à luz do Espírito Santo e em oração aos pés de Nossa Senhora do Pilar, em Zaragoza (Espanha), onde esteve três anos exilado, entendeu as ricas possibilidades criativas de uma comunidade cristã para o serviço apostólico. A comunidade poderia se tornar o grande meio de evangelizar no mundo. Foi esta instituição que deu origem aos primeiros grupos de homens e mulheres fundados pelo Pe. Chaminade: em 1808, as Comunidades Leigas Marianistas; em 1816, com a Venerável Madre Adela, as religiosas Filhas de Maria Imaculada e, em 1817, os religiosos Marianistas. Outra associação laical foi fundada mais recentemente: a Aliança Maria. Essas quatro ramas constituem a Família Marianista.
                O nosso carisma, dom de Deus à Igreja e para o mundo deita as raízes no Mistério da Encarnação: seguir Jesus, Filho de Deus feito Filho de Maria para a salvação do mundo. Queremos que Maria seja conhecida, amada e servida. Nosso espírito é o espírito de Maria: com Ela e como Ela queremos viver a fé e assisti-la na sua missão de formar na fé uma multidão de irmãos e irmãs para seu Filho Primogênito.